Apenas seguir

        Uma vez saí do colégio mais cedo. Arranquei da sala minha melhor amiga, Mia, a contragosto dela, lógico! Sempre a convencia quando a olhava nos olhos. Porque quando eu olhava daquele jeito era algo importante. Mais importante até que a aula especifica de química que estávamos assistindo.
        Foi um dia antes da festa de haloween, disse a professora que iríamos pegar a fantasia na loja, ela acreditou de cara, eu tinha alguma credibilidade por conta das notas, a Mia então, confiança total! Naquele instante eu só queria sair dali. Queria estar longe da falsidade, perto da verdade, qualquer verdade que eu conseguisse enxergar. Não me sentia bem algumas vezes, assim do nada. Sentia vontade de fugir do mundo e a única companhia que me fazia feliz era a dela.
        Fomos até uma ponte que tinha ali perto, sentei e fiquei horas olhando a água e o sol, a sombra que o sol fazia na água quando encontrava nas nuvens uma barreira e na cor laranja que misturava tudo isso, enquanto ela passava as folhas do caderno e tentava me explicar quão ruim ia ser perder aquela matéria. Eu entendia! Mas parecia não fazer sentido diante de coisas tão maiores e belas que estavam ao nosso redor...
Naquele dia comecei a gostar de laranja, do amarelo, do calor que essa cor dava só de se olhar. Olhava o por do sol por entre as madeiras de proteção da ponte, que em vez de tirar a beleza daquele momento o tornava mais bonito e mais significativa para mim. Apesar daquela barreira eu conseguia ver a paisagem e conseguia sentir o calor que aquela cor irradiava.
        Enfim ela entendeu que aquele momento era único, encostou a cabeça no meu ombro e olhou na mesma direção. Eu não sabia se ela via a mesma coisa que eu, talvez só não quisesse me fazer sentir uma boba. O importante é que estávamos lá e o que passava na nossa cabeça naquele momento martelaria ainda por muito tempo. Comecei a pensar na vida e em tudo que estava por vir. E por que tudo viria. O caminho que eu ia seguir dependia das minhas escolhas. Mas o que fazer quando não se sabe aonde quer chegar? Resolvi, então, apenas seguir!

Foto: Silhuetas da ponte de Neudson Aquino
Prefácio do livro que venho escrevendo. Talvez um dia termine, ou não...

2 ...:

Nágila disse...

Esse é teu mesmo??
As coisas estão evoluindo! oO'
Congratulations! =D

Mayara Mader disse...

Thanks!!! Yes, yes, and yes!

é o prefacio do meu livro.. vc vai comprar um quando eu publicar?

rs

Postar um comentário

 
Copyright 2009 "Se é loucura, então melhor nem ter razão..." All rights reserved.
Free Blogger Templates by DeluxeTemplates.net
Wordpress Theme by EZwpthemes
Blogger Templates