O que foi mesmo que o padre falou???

Posso afirmar que amor não faltou em minha vida. A começar pelo de meu pai, Augusto Cezar, de nome  talvez imponente demais para seus 1,67 m de altura. Um figurão bonito, charmoso e de um carisma tão irresistível que conquistou a mulher das mulheres, a loira mais cobiçada do bairro, Regina, mamãe.
Eles eram o casal perfeito. Ela belíssima, meiga e educada. Ele tinha o dom da conquista e uma simpatia acima da média. A falta de dinheiro do meu pai não o impedia de usar roupas de marca, tais quais Levis, Pierre cardin, Calvin klein. E nem a beleza da mãe de ela ser inteligente. Coisas tais que não interessavam a mim, que acabei forçando um casamento, pelo simples fato de passar a existir.
Minha mãe com 15 anos por algum tempo pensou estar vivendo num daqueles filmes de romance brega que meu pai assistia forçado  com ela no cinema. A verdade é que ele era mulherengo, mentiroso e pobre! Ela insegura, sem personalidade e fraca. Aos 7 anos eu sofri e muito a separação deles. Para mim, nos éramos perfeitos, minha irmã que acabara de nascer jamais veria o que eles um dia pareceram ser, ou talvez até tenham sido e se corromperam.
Hoje não os culpo mais. Eles pularam de casamento em casamento sem entender a fraqueza tamanha que eles tiveram. Ela fez das burrices a maior, disse a ele: "Estou apaixonada por outro"! É o erro da maioria das mulheres. Ele respondeu: "eu nunca fui fiel, em nenhum momento sequer". Uma verdade que ele sempre negaria se ela não tivesse confessado essa nova paixão. Mulheres e homens pensam muito diferente.
Ele nunca pensou em separação, por mais que houvesse outra ou outras, e eram muitas. Mas ela era a sua princesa! Ela havia sido a sua escolhida. Ela acabou não ficando com aquela paixão e essa tinha sido a única vez que havia enxergado outro homem.
Depois de pensar sobre essa historia tão próxima a mim, concluí que não é a traição em si, àquela carnal que realmente importa e sim a traição do sentimento. Uma pessoa casada não pode se permitir a outra. Pode ser que um dia a traição ocorra, mas que não seja considerada, nem contínua, tão pouco planejada. Ela era ingênua demais pra saber isso naquela época e ele ainda era bonito e jovem de mais para saber que os dias de glória na conquista um dia acabariam.
Nesse meio de amor e traição, onde nenhum conhecia a palavra perdão, eu nasci, cresci e estou aqui pra contar a história... e amor não me faltou, não! Faltou-me na verdade presença e não's! A ultima lembrança que eu tenho da gente junto foi no reveillon de 1994 e eu lembro de amor, carinho e cumplicidade. Vai ver eles não entenderam nada mesmo do que o padre falou!

3 ...:

m frank. disse...

você escreve muito bem. adorei o teu ponto de vista.

Mayara Mader disse...

Minha mãe disse bem assim quando eu li pra ela:
_Não foi bem assim que aconteceu!
Respondi:
_Mas foi assim que eu consegui enxergar essa história!

Ela calou...
Eu..ah eu amei dizer isso tudo pra ela, agora falta o pai...e eu direi!

Corrinha Rodrigues disse...

É que às vezes a gente ENTENDE mais do que eles.

Excelente!

Postar um comentário

 
Copyright 2009 "Se é loucura, então melhor nem ter razão..." All rights reserved.
Free Blogger Templates by DeluxeTemplates.net
Wordpress Theme by EZwpthemes
Blogger Templates