"Smiles from ear to ear"


Quanto tempo se passou desde aquele dia no colégio...
Eu querendo ser roqueira, você com cabelo grande.
Ta tudo diferente de antes e to achando que é melhor.
Sempre tive noticias, você fazia questão de ligar!
Que me deixava segura, por que sempre fugi de te amar?
Essa viagem foi mágica!
Quanto pra mais longe você ia mais perto do meu coração chegava..
Você tinha toda razão eu tinha medo de não ser nada do que foi...
E que bom que foi...
To impressionada com o meu sorriso...
e com a lembrança do teu beijo que não sai do pensamento.
Podia ser um tormento, mas tá me fazendo feliz!
"smiles from ear to ear" é a frase que me descreve agora!!!
Te ver de novo? Claro que sim!
E te beijar e te sentir...
Adorei a comida, o vento da sua varanda,
o roçar da tua barba, a tua euforia que cortou minha boca.
O teu abraço que me deixou louca...
Que mandinga foi essa que você aprendeu nesse lugar distante?
Que tempero é esse que você tomou, mais quente que pimenta?
E eu que sempre te encantei, to boba!
Com esse meu sorriso que não sai da minha boca que quer beijar de novo a tua!
Que viajem abençoada que me fez pensar em você!
Que me fez te olhar e pela primeira vez te querer.
Como se você fosse o que esperei.
Estava ficando pronto!
Já eu acho que nunca estarei.
Mas se depois de tanto tempo ainda permaneço,
não só na tua memória, mas em teu pensamento.
Darei a ti o que a muito não dedicava a ninguém,
meu sorriso de orelhas e meu contentamento...
E mais ainda a minha confiança!

Mediocridade

Não tenho imaginado.
Não tenho sonhado.
Nem ao menos dormido ultimamente!
O meu corpo mais nada sente.

Não sei o que me falta.
Nem tenho procurado!
Interpreto uma vida que me mata
E nem tento ser curado

Quase lá não é chegar.
Muito pouco é quase nada.
Continuo sem achar
O vazio em minha’alma!

Minha vida está tão cheia
De coisas pouco importantes.
Que tenho me sentido vazia..
Um vazio tão constante

Nada está tanto,
Nem tão pouco...
Não sou feliz
Mas não sofro.

As coisas que sonhei não chegam
Pode ser por medo
Ou falta de idade..
Pode ser até solidão
Mas que não seja a mediocridade!

volta pro jogo do amor!










O coro é:
ô capoeira meu amor
Volta pro jogo, por favor!


Na infância que não volta
Na inocência que passou
Conheci um capoeira
Olha ele foi o meu amor

Nessa vida traiçoeira
Não tive como escapar
Fui embora da cidade
Prometi logo voltar

Com revolta ele ficou
Decidiu não mais amar
Coração endurecido
Fez a capoeira abandonar

O capoeira meu amor
Volta pro jogo, por favor!

(coro)

Agora to de volta
Cumpri minha promessa
E eu digo com certeza
Que eu voltei para ficar 


O capoeira meu amor
Volta pro jogo, por favor!

(Coro)

Volta pro jogo do amor!

Por que agora eu to de volta
Pra jogar a capoeira

Do teu lado aonde for

(coro)

Talvez eu me importe

Madrugada do dia 20 de setembro de 2009 (1:18am)
Não sei o que senti naquele momento.
Mesmo chegando em hora inoportuna, me senti única.
Como se não importasse o que viria
O meu espaço estaria intocável
A princesinha que cresceu
Mas que aos teus olhos não perdeu o sorriso doce
Agora você já tem companhia
E eu talvez me importe com isso
Mas nesse momento não me dói tanto
Porque ainda me vejo no seu olhar
Falei que não tenho mais coragem de te querer
Mesmo querendo
Mas quem sabe...
Vai que um dia você resolve fugir
Improvável..não impossível
Você é melhor em cumprir promessas do que eu
Espero seu chamado..ou não!
Vi que as suas palavras não condisseram com o seu olhar pra mim
Que pareceram bem mais aflitos que os meus
Que atitude tomar?
Nunca pensei em nenhuma
Quem sabe o amor é diferente dessa loucura que sinto
Talvez eu ainda ame
Ou tenha um dia coragem de aceitar, assumir e viver esse amor!
Se é que é assim que chama..

Intercessão


Estou cursando Agronomia na universidade federal do Ceará - UFC, não foi fácil conseguir mas também não foi tão difícil quanto muitos imaginam. Entrei com 17 anos num curso o qual eu pouco sabia do que se tratava, numa universidade federal, ganhei congratulações de todos e me senti no topo do mundo e caí..de cara no chão!
Fui jogada lá dentro com tantos méritos, mas totalmente despreparada para aquilo tudo. Para as competições. Para os professores. Para a vida! As reprovações vieram.. Logo pra mim que sempre fui tão boa nos estudos, tão boa com tão pouco esforço, desde que eu tenho lembrança do colégio havia sido assim. Porque não mais?
E eu fui perdendo o gosto por aquele lugar, não era o curso. Agronomia é maravilhoso. Eu conseguia me ver fácil, fácil com uma excelente agrônoma, na minha picape, com minhas botas, desbravando interiores do Brasil adentro. Seria maravilhoso! E eu escreveria sobre tudo aquilo, publicaria artigos.Mas aquele lugar estava me dando nos nervos .Tudo que ele representava era me fracasso!
O que eu sempre quis foi escrever e escrevo,  mas só isso não bastava pra mim nem pra todos. E me sobravam duvidas. Aos vinte e um anos fui morar só e eu queria, seria mais uma realização, mais uma conquista. Deus sabe que não! Seria mais uma faze da minha vida em que eu seria joga a minha própria sorte. Sem preparação alguma!
Um dia eu simplesmente pirei! Terminei o namoro, abandonei a faculdade e chorei, chorei, chorei. Por algum tempo essa foi a única coisa que eu soube fazer quando deitava, o sono não existia mais. O que havia de tão errado? Não tinha nada errado..e porque doía tanto? Era como se eu mesma buscasse a dor, como se eu a procurasse pra estar de frente a ela e dizer "o que é você?", "Porque eu te sinto mais não te vejo?". E eu chorei, chorei e chorei.. Mas só a noite quando estava na minha cama só!
Saí pra todos os lugares que podia, sempre rodeada de amigos, graças a Deus tenho muitos, muitos bons amigos. Mas quando chegava em casa eu deitava e chorava.
Eu queria voltar a ser o que era. Meiga, entregue. Eu só queria fazer o que eu gostava sem me importar com o quanto eu ia ganhar com isso, queria ser "guia de mim mesma nos arredores do mundo". Mas cada dia eu estava mais cética, e via meus sonhos mais distantes.. Por que fazer Agronomia se eu sempre quis jornalismo? 
Nessa época aconteceu o que eu não imaginava..eu vi que eu era realmente importante pras pessoas que eu amava e que eu não estava tão só quanto pensava. Quando eu achava que ninguém estava notando. Quando eu me tranquei mais que nunca nesse mundo inerte que eu havia criado. Pessoas vieram conversar comigo, me explicaram que o ser humano e mundo não interagem de forma previsível. Que não existe uma formula pra ser feliz. Que por mais difícil que possa ser pra enxergar, há sempre uma intercessão entre o que eu fui e o que sou hoje. Entre tudo o que eu sonhei e o que eu conseguirei realizar. E que se o melhor da vida é viver porque ficar pensando em como seria viver diferente se essa é a vida que tenho.
Ainda tenho duvidas, ainda choro. Espero que a terapia me ajude! Mas eu decidi que tenho que fazer algo, não posso ficar esperando que tudo chegue como sempre chegou.

Obrigada Pai, Mãe, Wilson, Avelino, Karine, Suca, Sávio e Jô.
 
Copyright 2009 "Se é loucura, então melhor nem ter razão..." All rights reserved.
Free Blogger Templates by DeluxeTemplates.net
Wordpress Theme by EZwpthemes
Blogger Templates