Felicidade asiática


Outro dia, num dia comum enquanto voltava para casa, cruzei com uma garota de feições asiáticas. Ela vinha saltitante, com um sorriso lindo no rosto. Como se algo que ela muito almejasse tivesse acontecido, mas não uma surpresa, sabe? Era tipo uma satisfação! Vinha ela com um óculos meio "nerd" e uma pasta vermelha numa das mãos, a outra mão estava de punho fechado e fazia um movimento de puxar o braço para trás, como se dissesse: "Yes!".
Talvez estivesse saindo de uma entrevista de emprego, ou tivesse tirado uma boa nota naquela matéria terrível - hidráulica? -, ou, quem sabe recebera um convite daquele carinha que ela taaaanto queria. Eu nunca vou saber! Mesmo assim sorri junto com ela, cheguei em casa com aquela felicidade incipiente e ainda com um sorriso no rosto, meu marido sorriu para mim ao me ver sorrindo e de tão animados chamamos alguns amigos a noite e sorrimos todos juntos.
Sempre fio maravilhada com o poder de um sorriso e com a simplicidade que é ser feliz! E nesse momento só desejo que VOCÊ ao ler esse texto esteja sorrindo, assim como eu estou agora ao escreve-lo!

Um futuro diferente... (Ou seria uma visão?)

Você me veio como um sonho bom....
Hoje eu acordei e não tinha mais quinze anos. Estava deitada numa cama grande, num quarto friozinho de ar condicionado. E pensei "onde eu estou?", como foi que o tempo passou assim tão rápido? Do meu lado havia um lindo homem que estava acordando.. Ele sorriu, me abraçou e fechou os olhos novamente se aconchegando mais um pouco. Foi bom.
Olhei ao redor, tinham porta retratos por toda a parede, Paris, Jericoacoara, Cumbuco, Rio de Janeiro, Porto de Galinhas, Brasília.... Fotos de infância, minhas e daquele estranho. O azul do quarto me transmitia uma paz que parecia que ia durar eternamente enquanto eu pudesse permanecer naquele abraço.
O bipe do celular tocou, ele abriu os olhos novamente e me beijou sorrindo, levantou da cama e entrou em outro compartimento que parecia ser o banheiro... Tudo estava muito silencioso, a pouca luz que entrava no quarto tornava a cena ainda mais bonita, mas como eu tinha chegado alí?
Levantei na ponta dos pés e fui até a cozinha preparar um café, de maneira quase mecânica, quando de repente eu sinto aquelas mãozinhas pequenas abraçarem minha perna dizendo docemente "bom dia mamãe!"... Da área ouvi um latido rouco, era um cachorro velhinho, gordo e com uma carinha de cansado. Eu não tinha a mínima ideia de como a minha vida tinha chegado naquele ponto. Será que eu tinha viajado muito? Ou escrito livros maravilhosos? Mas sabe nada daquilo que eu lembra parecia fazer mais sentido do que a cena que eu estava vivendo naquela manhã confusa. Então, não importava mais o que tinha acontecido, como eu tinha chegado, apenas sentia que estava no lugar certo.

Texto de 2013. #Repost

E agora?

Hoje uma amiga minha do trabalho foi demitida. Foi tão triste! Ter que me despedir, pensar que vamos nos distanciar e principalmente me entristeceu pensar, no que ela fará de agora em diante! E agora?
Ela não tem ninguém verdadeiramente por ela! Eu sei que parece cruel colocar dessa forma, mas é isso que eu vejo. Ela é órfã, foi criada pelos avós, já idosos ( a avó está internada a mais de um mês), sofreu maus tratos dos tios e tias e rispidez da avó durante toda a infância e adolescência. Hoje mora só!
E agora, logo agora que ela estava tão animada, tenha recebido um aumento , esta começando um novo relacionamento e ingressou na faculdade que sempre quis, aconteceu um negócio desses.E agora? É a pergunta que não sai da minha cabeça. Eu me sinto tão abandonada às vezes e tenho tanta gente do meu lado... Não sei o que dizer a ela nesse momento...


Esse é um texto antigo que achei no meu pc.. 
Esse momento me fez ver o quanto eu devo apenas agradecer todos os dias!!! :)
Pare de reclamar e olhe a sua volta... Viva e tente fazer o melhor, pessoas com muito mais dificuldade conseguem, são felizes e agradecidas. 
Você tem a escolha todos os dias de sorris ou de chorar. Eu prefiro sorrir

Minha vida sozinha, sem álcool e sem amor...

Gostei da festa! Gostei de dançar, de rever amigos. Gostei das músicas antigas que me lembraram velhos amores e que principalmente lembraram que passei por cada um deles e que estou aqui prontíssima pra outra.
Curti até a parte de voltar sozinha pra casa, me senti muito segura. Gostei de não ter bebido e de mesmo assim ter curtido a festa. Nunca fui tão eu e tão apenas por mim. E isso era exatamente o que eu estava buscando. Ter autonomia sobre o que quero e faze-lo, com seriedade, sabe? Inusitado, livre, mas com responsabilidade.
Sinto-me bem, forte e cheia de mim, crendo mais que nunca que as coisas vão sim ( e já estão) se encaminhar de acordo com o devido.
Mas sempre falta algo, né? “Agora só falta você...” Mas fazer o que? Hoje eu sei ter o que possuo e principalmente sei entender o que não posso ter. E sabe talvez eu trocasse toda essa sobriedade por mais um minuto com você.. Ou não, já dizia Caetano!


----> Algum momento de 2012.

Fortaleza 22 de setembro de 2011


Dos meus conflitos bobos e intensos nunca sei nada...

Vivo um eterno dilema entre as coisa que eu tenho que fazer e as que gosto. Incrível que geralmente elas não coincidem. Não gosto de me fazer de coitada, tanto que sempre me considerei uma pessoa sortuda. Já pensei que talvez eu não estivesse preparada pra toda essa sorte. Sinto-me sobrecarregada. E eu vejo gente que passa e aguenta tantas coisas mais pesadas do que eu. Essa minha fraqueza é irritante.
Complico meus pensamentos, faço e refaço planos. É, eu sou difícil! E ontem meu namorado disse que eu era a pessoa mais simples e tranquila que ele conhecia. Isso me deu muito medo, porque percebi que estou em conflito sozinha. Ninguém ta notando, ninguém vai me ajudar...
Sou imediatista e amo a liberdade. Não sei mais o que estou escrevendo. É que a aula não está me interessando então eu fico nesse refúgio, nessa conversa comigo mesma que não tem fim.
Tem dias que me sinto mais perdida que em todos os outros, nesses dias eu quero colo, sorvete e quero chorar. Mas é que eu já sou grande e não vai dar tempo pra isso hoje. 

Entre erros e acerto recordei dos meus sonhos...


Esses dias não tenho feito muitas coisas pelas quais eu possa me orgulhar. Na verdade quando lembro nem me reconheço. Mas pareceu que eu estava em foco, muita gente me interpretando. Uns bem até demais pro meu gosto e outros muito mal. De toda forma nenhum foi muito bom pra mim. A não ser pelo fato de que nessas horas é que se percebe sim que realmente se importa com a gente.
Quero me afastar de tudo que me faz mal e de tudo que não posso controlar. Eu sei que não faz muito sentido, já que pra mim sempre foi assim, intensidade e perigo. Gostava do que começava logo e logo tinha fim, gostava de estar perto de coisas que eu não podia fazer, por mais que nem fizesse, sempre estava por perto.
Sempre pensei que me afastando disso eu teria paz, mas não seria mais eu, em essência. Mas, esses dias eu tenho pensado em como eu to fazendo tudo errado e a música Maurício não sai da minha cabeça (“...As vezes faço planos, as vezes quero ir pra um país distante, voltar a ser feliz...”), mas tudo fica sempre no plano e no discurso. A verdade é que eu montei uma casa, comprei uma moto e adquiri um cachorro. Entende? Eu não quero criar raízes, mas é exatamente isso que faço toooodos os dia a long time ago!
Essa história de Londres tá martelando, martelando.... E me sobram dúvidas e desaprovação. Eu tenho um emprego razoável à 4 anos e quando cojito a possibilidade de sair, todos enlouquecem. Pôxa! Mas se ele for apenas a minha vaquinha, aquela que acomoda e que o monge joga do penhasco. Que me perdoem papai e mamãe (que sim estão sempre prontos a me ajudar), mas eu não tenho um monge, então eu mesma terei de ser. Eu vou!


Qual o seu maior sonho? O meu sempre foi ser guia de mim mesma pelos arredores do mundo... Agora começo a lembrar e espero não esquecer mais.





Dedico esse texto a Karine Gadelha! Por favor desculpe-me por ter dito com tanta certeza uma mentira tão grande, você sempre soube, né? Mas não foi por mal, é que eu sou assim intensa de mais em tudo, até em me perder

Das coisas que não deixo mais passar...

Hoje recordei rapidamente de todas as pessoas e coisas que perdi por ainda não estar preparada para elas, ou por ainda ter muita curiosidade do mundo e dificuldade em ser permanente...
Recordei de amigos e parentes distantes, aqueles que eu sempre deixo pra depois porque moram muito longe ou acabaram se tornando pessoas muito diferentes de mim, sempre penso “mês que vem faço contato com eles”. E se não tiver mês que vem?..."
As minhas viagens, a publicação do meu livro e aquele disciplina que deixei pro semestre que bem... Será que Ela vai esperar eu tomar o ultimo gole de wisk? Com toda a licença, vou alí vever as pessoas que amo, conhecer o lugares que sonhei e fazer todas as coisas que eu poderia sim, (como taaaaantas pessoas que conheço) deixar de fazer. 







"Eu que não me sento no trono de um apartamento com a boca escancarada, cheia de dentes, esperando a morte chegar..." Raul 

Saudosa siiim

Saudade em mim é marca. Mas não nasceu comigo, não. Foi feita de despedidas, de desencontros e desilusões. Teve que doer pra ficar. “Raso, largo e profundo..” você consegue entender, não é Raul? Agora eu consigo. Não vou mais contra, passei a viver assim... 
Saudosamente em mim!

Você já teve vontade de matar um professor?

Nesse momento pra mim só matar não ia passar a minha raiva, teria que ser um assassinato com requintes de crueldade... É sério! Pôxa.. Eu tô estudando pra caramba, me esforçando, correndo atrás do prejuízo pra vir um cara desse e frescar com a minha cara.
O Imbecil não da nenhuma aula que preste, é burro igual uma porta e ainda fica desafiando você. Isso porque aqui na UFC professor é rei, não importando NADA a idiotice que ele esteja fazendo. Mas agora eu me pergunto: Que tipo de avaliação passa o Ronaldo pra professo de uma faculdade pública.
Uma disciplina super importante principalmente pra região nordeste (ele ensina a parte de Ovinocaprinocultura da disciplina de de Zootecnia 2 - Ruminantes) e colocam esse cara. É pra ferrar com a galera de agronomia, porque que eu saiba houve um abaixo assinado pra que esse professor não desse aula pra Zootecnia. Porque que será hiem?
Acorda agronomia, já te tiraram Pesca, reduziram ao máximo Zootecnia e ainda colocam um incompetente desses pra dar aula e ninguém faz nada? - Paraí. Fui ali fazer um pequeno barraco civilizado.

05/06/12 05:24
Horário de luz natural do Pacífico

Sem mais egoísmos...

Eu prometi pra mim mesma  não chorar mais a partida de alguém que amo muito... Porque nos últimos tempos aprendi que a falta que sentimos das pessoas que amamos é um sentimento muito egoísta (tá eu sou egoísta) e eu luto contra os meus sentimentos desse tipo. Então estou tentando ao invés de pensar nas coisas que não faremos, na falta e na saudade, pensar no quanto vai ser maravilhoso pra quem parte.
E, é claro, que sentirei falta e muito, mas acredito que poucas pessoas vêm e ficam, poucas mesmo. A grande maioria vem, compartilha (coisas boas ou ruins) e depois vai embora deixando com a gente uma porção de aprendizados.  
Às vezes voltam pra ficar, outras voltam e partem novamente e algumas nunca mais vemos. Mas e daí? Cada momento que compartilhamos foi perfeito, até os mais tristes, porque estar junto com quem a gente ama melhora até os piores momentos.
Aprendi muito com todos que passaram em minha vida. Errei e acertei muito com cada um deles e eles comigo. Mas o que é a vida se não uma sucessão disso? Erros e acertos!?
Vivi muito com meus amigos, amores e familiares, que foram “embora”, enquanto estavam aqui pertinho de mim, mesmo quando não estavam efetivamente ao meu lado, em todas as vezes que pensei que podiam estar. 
E depois que foram continuou sendo assim. Em cada por do Sol que me lembra o Régis, cada música do Engenheiro do Havaii que lembra o tio Júlio, ou da Legião e Chico Buarque a Karine, a cada vez que brindo antes do primeiro gole de cerveja gelada ou piso no tapete do banheiro pra enxugar os pés a vó Rita, a cada Chapas Club a Tia Renata, e toda vez que pego meu IPod o Douglas...
E pode ser que algum deles volte e fique, outros voltem e vão novamente, ou talvez algum nunca volte. Não importa tanto assim... O que importa é que sempre estejam em busca da sua felicidade. Eu estarei em qualquer lugar do mundo na torcida.

My happy end!

Sabe aquele sentimento que eu dizia que parecia que faltava alguém apertar o PLAY, pra minha vida começar de verdade? Não consigo mais entender! De repente é como se o filme tivesse começado sem que eu me desse conta. E tudo corre e tudo vive. 
Talvez eu esperasse ação demais, dramas e amores demais. E na verdade o meu filme é só um  filme doce e alegre, daqueles que não se espera um final surpreendente, mas que é gostoso de ver só pra ficar um pouquinho mais feliz.
Eu não sei se está perto do fim, nem tão pouco são sempre flores... Mas eu sinto aqui, até nos dias mais nostálgicos, que a cada passo estou mais perto do "Final feliz"(1) e créditos(2).

Dicionário:
  1. Final feliz: Momento perfeito e inesquecível que fecha uma fase. 
  2. Créditos: Momento em que a vida continua sem que todo mundo fique vendo.
E pode ser que não seja tão feliz dali em diante, pode ser que o filme tenha uma continuação com novos personagens. Pode ser tudo. Existem possibilidades. 

Sabe eu? Pensei que seria mais fácil...

Sabe aquela menina que se inspirava na Clarice, que nem penava em casar, que ia ser a melhor motoqueira do pedaço e sempre, sempre ia lutar pelos seus ideais de liberdade, amor e comunhão? Aquela que só ouvia Rock’n’roll e estudava misticismo e coisas transcendentais? Bem, acho que ela ficou lá pela minha adolescência, sabe?! Lá atrás, naquele tempo em que eu queria tudo agora e que eu pensava em mim como alguém DIFERENTE, alguém que não seria “corrompida pelo sistema”.
Eu ri agora quando reli o ultimo parágrafo... Veio a minha mente, como num filme, incrivelmente claro, eu mesma há 10 anos atrás. Não que eu seja velha, na verdade sou bem jovem, 23, mesmo assim consigo perceber o quanto eu cresci, o quanto minha percepção de uma mesma coisa mudou e principalmente, como o tempo passa rápido.
Ta, devo confessar que esses últimos dias, estou mais nostálgica do que vinha sendo nos últimos anos. Deve ter sido por isso que lembrei dos 13.
Eu chorei e nem soube por que exatamente. Mas quando parei pra pensar, vi que até tinha motivos, mas parece que já estou tão acostumada a porrada, porrada e mais porrada que nem reparei que os problemas estavam se acumulando, que a saúde estava debilitada e que a casa já precisava de consertos.
É que eu não pensei na minha vida exatamente desse jeito. Eu pensei em algo mais fácil, em não ter lugar e ainda assim não se sentir perdido, imaginei milhares de paixões, mas apenas um grande amor pra continuar a até o fim a meu lado. Pensei na vida dos contos de fadas daqueles livros que meu pai lia. Lembrei constantemente na voz dele me dizendo que: “Você é uma princesa”.
Eu sou motoqueira, ta, sou uma motociclista, meio desengonçada e cheia de gambiarras, nem uso jaqueta e botas, nem tão pouco minha moto é preta com chaveirinho de caveira.. (juro que era isso que eu pensava..rs Tipo a Alex – Camila Pitanga – na Malhação, quando ainda era uma academia.).
Ainda acredito no amor, mas descobri cedo, que ele pode se perder. E sabe, eu sou feliz, mas não é daquele jeito que eu pensava que a felicidade era. Hoje vejo que a felicidade tem muito mais a ver com, a ausência de complicações ou a resolução de uma série de prolemas do que com coisas incrivelmente maravilhosas que acontecem do nada.
O “sistema”, o que é isso mesmo? Nem lembro mais. Hoje prefiro MPB, samba de mesa e pop rock dos mais calmos e românticos que possam existir.
Mas ainda sou eu aqui! Juro! Da pra ver? Só que acho que cresci, talvez cedo demais. Meu namorado diz que eu não tenho a cabeça da minha idade, que eu já passei uns 10 anos disso. Eu sempre fui assim. Algumas vezes isso me irritou. Tento pensar que tudo que vivi me fez a pessoa que sou hoje, e gosto dessa pessoa. Eu só não queria ser ela agora.
Queria ter um quarto na casa dos meus pais e ter problemas do tipo “odeio a minha irmã porque ela pega minha maquiagem”. Não ter que pagar aluguel e perder noites de sono pensando em como vou pagar as contas ou inventando coisas mirabolantes na minha cabeça pra achar algo pra dizer pra minha irmã de 17 anos que à convença de não casar agora.
Eu choro muito, e sou ligeiramente hipocondríaca, estou com medo de me tornar uma pessoa daquelas que as outras pessoas não gostam de estar perto. Triste e cheia de reclamações. Tenho escrito cada vez menos. Isso também me entristece. Hoje lembrando daquela menina radiante e cheia de esperanças que queria independência e liberdade, só consigo pensar num colo pra deitar e contar os meus problemas, pra vê se me livro um pouquinho deles. Quero alguém que me ame e que seja verdadeiramente por mim. Que apenas me escute e não me julgue, só isso. Só hoje, só dessa vez. Pra ver se eu me animo de novo, pra ver se eu não me sinto assim tão só.

Viver por nada não dá pra mim também...

"Às vezes estou por cima, às vezes estou por baixo.
Mas estou sempre por alguma coisa.
Por alguém. Por aí."

[Gabito Nunes]

E tudo gira

Nem só de sentimentos vive o mundo.
Nem tão pouco só a minha vida tem graça...
O meu mundo sobe, desce e gira.
A felicidade paira e outras horas a tristeza respira.

Onde está todo o resto além de mim?
Onde estão as coisas do acaso,  sem Deus e fim.
Eu não vejo, mas quem sou eu pra dizer?!
Apenas um ser de mim...

Amor que rima com dor
Ou travesseiros com romã
Quem me dirá, então agora, sã?

Inercia e cotidiano
Ou do pecado e da maçã
Apenas como, vivo e amo

Apoiar o coleguinha

 
Copyright 2009 "Se é loucura, então melhor nem ter razão..." All rights reserved.
Free Blogger Templates by DeluxeTemplates.net
Wordpress Theme by EZwpthemes
Blogger Templates