Granidissíssima idiota

To me sentindo uma grandessíssima idiota! Depois de ler uns 10 textos do Arnaldo Jabour concluí que sou uma mulher normal, do tipo que os homens querem casar, que foge do estereotipo da ‘Tiazinha’. E que preciso urgente de um analista, porque sou a descrição perfeita de uma idiota que participa do mal do século: a solidão! Simples e puramente pelo fato de não querer me envolver!
Então ta... Ainda bem que já comecei com a analisa! Vou tentar ser menos maquina a partir de agora. Será que ainda consigo?

'Que dure, que dure, que dure, que dure..'

Tô me achando linda, estou sendo amada!
Com o sentido mais puro da palavra amor, sem deixar de ter desejo.
Como se fosse possível amar adolescente de novo.
Um “amasso” daqueles de tirar o fôlego sem tirar a mão da cintura.
Um beijo daqueles de arrancar boca sem perder a ternura.

Adoro o jeito como você me olha como se eu fosse a coisa mais importante e frágil do mundo e sem me aprisionar! Esse seu jeito despretensioso de me conquistar.
Estou aqui morrendo de sono, mas faria tudo de novo. Diria cada palavra, ouviria cada sussurro, embalaria de novo em cada canção nos teus braços. No teu abraço! 
Meu analista riu quando falei que você não falava 'poblema' (Agrrrrr! :@) Mas não tem problema, também tenho rido o tempo inteiro. 
Tô mais boba do que no dia em que comi um pote de sorvete (2L) assistindo 'meu 1º amor'. Quando vejo teu numero me ligando me animo mais do quando acho dinheiro no bolso da calça em dias que estou precisando. 
Quando penso em todos os lugares que vamos conhecer juntos chego a esquecer o que passou só pra viver tudo de novo do teu lado. Nem sei porque estou escrevendo isso.
Estou meio assustada, impaciente e já com saudade! Não sei te dizer se vai durar, mas sei que esse sentimento existe aqui em mim.
Não sei dizer nem ao menos se é amor o que sinto. Só posso dizer que algo existe e ta mexendo muito comigo de uma forma totalmente diferente. Sinto-me presa a você e isso não tem me incomodado. 
Meu pensamento, fala na cabeça como prece: 'Que dure, que dure, que dure, que dure..' Acho que só!

Pareço ter 5 aninhos perto de voc..

Tudo certo pro Fagner?
Sonhou comigo?
Ta com saudade?
Se alimentou direitinho?
Ta pensando em mim agora?
Ainda me ama?rs..

Dormiu muito tarde ontem?
Escovou os dentes quantas vezes hoje?
Ainda ta pensando em mim?
Compuseram muitas musicas ontem?

Dobrou o lençol antes de sair?
Tomou o que no café?
Vai me ligar mais tarde?
Muitas perguntas pra serem feitas por sms..

Tantas perguntas, que se eu estivesse aí saberia,
tantas respostas eu teria vivido... Saudade!
Eu já te disse que 'sempre' é tempo demais!?
Pra mim basta que seja agora!

Amei a brincadeira Lunna!!!


No blog http://teoriasimpossiveis.wordpress.com A Lunna Guedes propos um desafio...e eu topei! Ela começou um texto e pediu para que continuassemos... e aminha parte ficou assim:

No elevador

Ela percebeu seus olhares não havia quem não notasse, mesmo ele tentando esconder ao máximo. Um súbito de coragem a tomou e ela disse firme:
_Sei o que esta a lembrar!
Ele engoliu a seco, a mulher continuava a ser atrevida e cheia de si, assim como na meninice.
_Daquela menina que o Sr. conheceu comandante, nada restou.
E se afastou não dando espaço pra resposta.
Outras pessoas entraram no elevador. Enquanto isso ele a observou. Seus cabelos longos estavam presos num rabo de cavalo e sua franja lisa, solta pra o lado direito, bagunçava com uma certa facilidade. Ele se contorcia por dentro e apertava as mãos com punhos fechados atrás das costas cada vez que isso acontecia, como forma de controlar a vontade que tinha de pegar aquele cabelo e gentilmente coloca-lo para traz.
Mas não ele não ousaria, o comandante não seria capaz de cordialidades, tão pouco de carinho, ele se forçava pensar que era esse o motivo de se manter recluso, mas na verdade sabia que evitava o contato com medo de não conseguir controlar o seu desejo, não só de toca-la, mas de tela inteira pra si como um dia ela já quis.
As pessoas saíram, o andar deles era o próximo.
Estavam lado a lado na porta do elevador, prontos pra sair.
Antes que a porta abrisse, ele não se conteve, deu um passo para o lado e alcançou com a mão o botão de “travar porta” e apertou!

Tchan..tchan..tchan..tchan.. e agora???? Continua!


Veja como ficou bom com a participação de todos:
 
Copyright 2009 "Se é loucura, então melhor nem ter razão..." All rights reserved.
Free Blogger Templates by DeluxeTemplates.net
Wordpress Theme by EZwpthemes
Blogger Templates